Como anda o fôlego do seu cão?

Vivemos uma experiência diferente neste mês de outubro com uma seca histórica e um calor tão forte que também surgiu como uma manifestação diferente do que já conhecíamos. O ar totalmente misturado com terra e o céu coberto de cinza/fumaça. Graças a Deus veio a chuva e já melhorou as condições climáticas. Os animais também sentem muito essas oscilações, que podem proporcionar o aparecimento de dificuldades respiratórias.

Por exemplo, os cães também podem ser alérgicos à poeira. Espirros, coriza e tosse podem ser causados por alergia, sim. É dessa maneira que o organismo tenta eliminar agentes aos quais é sensível e que causam inchaço, coceira e queda de pêlo nas regiões afetadas. Entre os motivos do problema podem estar um cheiro diferente, um produto de limpeza, uma planta, a poluição, a poeira e a fumaça de cigarro. Mantenha o cão alérgico afastado do que lhe causa alergia.

Alguns cães têm a traquéia mais fechada que a maioria – é o chamado colapso de traquéia. Isso dificulta a respiração quando fica mais acelerada. O cão tosse, se engasga e sente falta de ar. Se houver sintoma, evite excitar o cão nas brincadeiras e em recepções festivas. O colapso de traquéia é um problema hereditário – não acasale o cão portador. Outras causas de pouco fôlego, são em decorrência de gripe e pneumonia.

Compartilhar: