Um grande avanço!

celula-tronco-veterinaria

O uso de células-tronco tem se tornado importante aliado no tratamento de doenças graves que acometem os animais de estimação.

A perspectiva de cura de doenças para as quais já não há tratamentos traz esperança não só aos seres humanos, mas também ao mundo animal. Apesar de ainda gerar polêmica, o uso de células – tronco PE um processo em constante evolução com a promessa de restaurar funções de órgãos e tecidos do organismo. Uma cadelinha poodle toy de 15 anos foi uma das beneficiadas pela técnica. Portadora de diabetes que desencadeou uma catarata, ela teve de passar por intervenção cirúrgica para voltar a enxergar. A cadelinha também apresentou um quadro de insuficiência renal. Os donos não pouparam esforços para salvá-la. Passou por seções de soroterapia e diálise para ajudar no funcionamento dos rins. Apresentou melhoras, mas ainda ficou dependendo de cuidados especiais. Foi quando os donos tiveram conhecimento do uso de células tronco no tratamento de algumas doenças nos pets. Foi um sucesso. Com apenas uma aplicação o estado geral da cadelinha melhorou e o problema renal foi controlado. Obtidas a partir de material adiposo (gordura) de animais saudáveis – em geral de cadelas jovens no momento da cirurgia de castração, ou do próprio animal em tratamento -, as células-tronco surgem como importante aliado no tratamento das doenças graves que acometem os bichos. Os especialistas alertam que para realizar o tratamento é fundamental que o animal não tenha nenhum tipo de infecção. Por isto não é recomendável em quadros de leishmaniose e cinomose, durante a evolução das doenças , que provocam processos infecciosos constantes.

 

Compartilhar:

Muito doloroso!

otite-canina-2

Otite é uma inflamação seguida de infecção causada no ouvido e é muito comum nos cães devido ao formato de sua orelha, que tem um canal comprido e fechado, o que torna fácil o aparecimento e replicação de ácaros, fungos e bactérias. Algumas raças de cães apresentam otite canina com mais facilidade e frequência como Golden Retriver, Basset Hound e Cocker Spaniel por terem o orelhas maiores.

Tome cuidado durante o banho do cão, pois, ao deixarmos entrar água no ouvido deles, favorecemos o aparecimento da doença, já que o que os causadores dela se proliferam em locais úmidos e quentes. Uma dica interessante é colocar algodões nos ouvidos do cachorro, evitando a entrada de água, e sempre secá-lo bem ao final do banho.

 

Compartilhar:

Porque não cortar o rabo do seu cão?

boxer-orelha-cortada1

Infelizmente, muitas raças tem como “padrão” o corte de orelhas e/ou rabo. A documentação de padrão da raça disponibilizada pelo CBKC é antiga e ainda não foi atualizada, o importante é que essa prática agora é crime. O que é considerado CRIME é o corte de orelhas e rabos para fins ESTÉTICOS (apenas por aparência). Se o cachorro apresenta algum problema de saúde que seja constatada a necessidade de corte de orelha ou rabo, não é crime se o médico realizar o procedimento.

 

Compartilhar:

Proibido animais em vitrines e gaiolas

cachorro-em-gaiola

Começou a vigorar em todo o território nacional uma lei que estabelece a proibição da venda e exploração de animais em vitrines e gaiolas. As resoluções foram publicadas no Diário Oficial da União.

De acordo com a legislação, as lojas especializadas nos cuidados e na venda de animais de estimação terão que adequar os animais em um ambiente livre de exposição a barulhos, com acesso restrito para as pessoas, locais mais luminosos e também cada animal deverá ser adequado ao seu habitat natural.

 

Compartilhar:

Viagem Inesquecível

Viagem_inesquecível

Hoje temos o relato de uma viagem inesquecível, verdadeira aventura vivida e contada aqui por Júlia Márcia e Ricardo:

“Tiramos férias, meu marido e eu. Resolvemos ir para uma praia deserta para descansar. Qual seria nossa companhia ideal? Nossas lindas e amadas cadelas. Levamos ao “pediatra” tomaram os medicamentos para irem para a praia. Compramos coleira com ajuste no cinto de segurança , colocamos no banco traseiro e fomos para Paraty. São duas lindas pastoras, uma belga, Duda e outra canadense, Pipoca. Já sabíamos que seria uma viagem agradável, mas não tínhamos certeza se seria para elas. Fizemos planejamento para parar de duas em duas horas, saímos de madrugada tudo para que tivessem um ambiente agradável . Foi uma viagem maravilhosa. Comportaram como duas ladies. Em Paraty íamos para a praia, elas corriam na areia com uma felicidade pulavam uma na outra, foi muito gostoso. Alugamos uma casa com amplo quintal, não diferente do ambiente delas. Não tomaram nem remédio para enjôo. Ficamos 10 dias. Nos passeios na cidade elas iam na guia, sentavam ao nosso lado tanto nos barzinhos como nos restaurantes. Não incomodaram ninguém, muito pelo contrário eram atração onde parávamos. Na maioria dos barzinhos e restaurantes que fomos eram bem recebidas e bajuladas. Agradeço muito à cidade de Paraty que nos  recebeu muito bem. Foi uma viagem maravilhosa. Na rodovia Dom Pedro, há restaurante que recebe animais com área específica para eles. Em Ubatuba, no caminho para Paraty também encontramos um restaurante muito bom com área reservada para quem viaja com animais. Ficamos tão felizes que já estamos planejando a próxima com nossa Duda e Pipoca.”.

 

 

 

 

Compartilhar:

Cordectomia

cordectomia

Muitos donos de cães solicitam aos médicos veterinários a cordectomia com o objetivo silenciar seus cães por serem muito barulhentos.  Cordectomia é a cirurgia feita nas cordas vocais com o objetivo de licenciar. Os motivos para a procura desta cirurgia como tratamento comportamental são diversos. Mas ao serem questionados pelos veterinários sobre qual é o real motivo para realizar a cirurgia, as principais alegações dadas pelos donos é que já tentaram de tudo e nada funcionou, também que não aguentam mais o animal e se não fizerem a cirurgia vão dar o cachorro para outra família.

Os latidos são uma das formas dos cães se expressarem, porém eles sempre vêm acompanhados de posturas corporais e expressões faciais. E é a intensidade do latido junto com a expressão corporal que auxiliam na identificação do motivo dos latidos.

Independentemente da origem do latido, o fato é que eles fazem parte do comportamento e da comunicação natural dos cães.

Esse tipo de intervenção com a intenção de tratar uma doença ou corrigir algum defeito congênito tem muitos fatores positivos, pois faz com que haja tanto melhora na qualidade de vida do animal, como também no seu bem-estar e na sua saúde. Sendo indicada principalmente para a retirada de tumores nas cordas vocais dos animais.

Ao mesmo tempo em que a ausência do latido, devido à cordectomia, é vista como um pró por alguns donos, o Conselho Federal de Medicina Veterinária, as Ongs de proteção animal e o AgendaPet a veem como um fator extremamente negativo: pode gerar danos psicológicos, problemas de socialização e outros problemas comportamentais  ao animal devido à ausência de comunicação.

Sempre a melhor opção, tanto para humanos como para cães, é a educação.

 

Compartilhar:

Cinematográfico

rinha_caes

Aconteceu nos Estados Unidos, na semana passada.  Exatamente 367 pit bulls foram resgatados e 10 pessoas foram presas no Sudeste do país.

Eles foram acusados de promover e patrocinar rinhas de cães, de posse e venda de cães envolvidos em rinhas, assim como por formação de quadrilha, de acordo com uma declaração do Procurador do Distrito Médio do Alabama, George Beck.

A Sociedade Americana de Prevenção à Crueldade Contra os Animais (ASPCA) e a Sociedade Humana dos Estados Unidos (HSUS) ajudaram a recolher os cães, auxiliando na sua remoção e no transporte para abrigos de emergência temporários em locais não revelados, de acordo com uma declaração da ASPCA.

A rinha de cães é considerada um crime em todos os 50 estados e no Distrito de Columbia. No início deste ano, o ‘Ato de Proibição ao Espectador de Rinhas de Animais’ foi reintroduzido no Congresso. O projeto de lei tornaria um crime federal assistir rinhas organizadas de animais e imporia multas adicionais para quem levasse um menor a um evento como esse. O ato está com uma comissão desde abril.

Em julho de 2009, as autoridades executaram a maior repressão contra rinhas de cães na história dos EUA, resultando no resgate de mais de 500 cães e mais de 100 prisões em uma batida policial em oito estados, abrangendo Missouri, Illinois, Iowa, Texas, Oklahoma, Arkansas, Nebraska e Mississippi.

Que seja assim em todos os países: cadeia para quem pratica esse tipo atroz de crime.

 

Compartilhar:

Uma questão de saúde pública

urna_animal

Infelizmente, os nossos pets vivem muito menos que nós e é comum que tenhamos que nos despedir deles. Na prática, o que fazer quando acontece? É essencial que estejamos cientes de todos os cuidados que devem ser tomados, inclusive para com a saúde pública.

Grande parte dos animais falece através da contaminação de doenças transmissíveis também ao homem, as chamadas zoonoses. Mesmo depois do óbito, essas enfermidades ainda podem ser transmitidas a nós e também a outros pets. Essa é, sem dúvida, a principal preocupação da sociedade em relação à morte de nossos bichinhos de estimação.

A atitude de encontrar um lugar no terreno de casa para enterrar o seu pet pode ser um grande gesto de amor, mas é perigoso para a saúde fazer isso, visto que um organismo que está passando pelo processo de decomposição pode contaminar o solo, o lençol freático e transmitir doenças.

As clínicas veterinárias pagam uma taxa para a prefeitura e a mesma recolhe todo o lixo hospitalar e, junto a isso, os animais também são levados. Para isso, o pet deve ser deixado no estabelecimento, onde a prefeitura passará para encaminhá-lo ao Centro de Zoonoses.

Caso o seu animal foi levado ao óbito por alguma doença transmissível, a cremação é obrigatória. Se os bichos forem jogados em aterros sanitários, vai haver contaminação do solo e dos lençóis freáticos. É realmente preciso políticas públicas sérias também nestes casos. Vamos fazer a nossa parte.

 

Compartilhar:

Cães dos Bombeiros e Rocca são homenageados

dog_cop

A assessoria da Vereadora Denise Max, acaba de informar à coluna sobre homenagem a grandes heróis que são os cães que trabalham a serviço da sociedade: “A vereadora Denise Max (PR) presta homenagem ao Pelotão Canil do 4º Batalhão de Polícia Militar e ao Grupo de Busca e Salvamento com Cães do 8º Batalhão do Corpo de Bombeiros nesta quinta-feira, 25, às 9h, no Plenário da Câmara Municipal de Uberaba.

Do Pelotão Canil da PM vão receber Moção de Aplausos a cadela Lupa, os cães Thor, Sansão, Bruce, e Maylon, que têm como seus condutores 3º sargento Breno César Costa, soldado Lucas Francisco Rodrigues, 3º sargento Márcio José Pereira, cabo Regedeltre Martins Henrique, e soldado Telesmar Caetano de Castro. De acordo com o comandante do Grupamento Rocca, major Wesley Rodrigues Rosa, os dois primeiros são treinados para encontrar drogas, e os outros três cães trabalham na captura de criminosos que se escondem. Além dos condutores dos animais, ainda recebem homenagem o 3º sargento David Gutenberg de Oliveira, cabo Diego Fabiano de Oliveira, cabo Fernando Augusto dos Santos, soldado Luís Carlos Manfrin Júnior, soldado Thiago Freitas dos Santos, 1º sargento Wellington Rosa Lima, major Wesley Rodrigues Rosa, e soldado Willian da Silva Duarte.

Pelos Bombeiros recebem homenagem a cadela Angel e o cão Luck, que têm como condutores o 3º sargento Thales Marcelo Rufino e o 2º sargento William Aparecido Costa. Além dos condutores dos cães, também recebem homenagem o comandante do 8º BBM, major André Humia Casarim, o soldado Eduardo Luiz Domingos, cabo Ítalo José Ribeiro da Cunha, soldado Leonardo de Freitas Borges França, e soldado Vinícius Barros Reis. Para a vereadora Denise Max, esta é uma forma de destacar o trabalho da Rocca no combate ao crime, e dos BBM’s em salvamentos. “Quero agradecer o que estes homens e cães juntos, fazem pela sociedade”, diz.

 

 

 

 

Compartilhar:

Cartas ao paraíso

Beagle

As histórias de pets sempre emocionam, e muitas delas têm um final triste. Mas algumas delas excedem as expectativas na hora de arrancar lágrimas dos nossos olhos… E essa é uma delas. Um garotinho chamado Luke Westbrook, de apenas 3 anos de idade, tinha um melhor amigo – o cachorro Moe, da raça Beagle. Só que, infelizmente, Moe faleceu em abril desse ano.

Luke ficou inconsolável. Desde então, com a ajuda de sua mãe, ele manda cartas para o “Paraíso dos Cachorros” dizendo que está com saudades do amigo. Ele falava o que queria dizer, e sua mãe, April Westbrook, as escrevia. Eles enviavam as cartas para “Moe Westbrook, Paraíso dos Cachorros, Nuvem 1”.

A mãe levava o garoto até a caixa de correio e botava a carta lá dentro na frente dele. Só tirava quando ele ia dormir, pra que ele não ficasse desconfiado. Até que um belo dia, ela simplesmente se esqueceu de tirar a carta. Quando ela foi checar a caixa de correio o carteiro já tinha passado e recolhido a carta! A mãe de garoto achou que simplesmente iriam jogar a carta fora.

Mas ao invés disso, aconteceu algo que surpreendeu a todos. Na manhã do dia 12 de junho, uma carta sem estampa apareceu na caixa de correio deles. Intrigada, April levou a carta pra casa, e junto de seu filho, abriu. A carta dizia o seguinte:

“Eu estou no Paraíso dos Cachorros

Eu brinco o dia todo, e estou feliz

Obrigado por ser meu amigo

Eu te amo Luke”

Luke e sua mãe ficaram muito felizes com a carta, e ela ainda não faz ideia de quem esteja por trás disso.

Muito tocante, né? E parabéns pra seja lá quem for que tiver escrito a carta. Atitude exemplar!

 

Compartilhar: